terça-feira, 25 de agosto de 2009

Ela voltou de manhã completamente desnorteada. Não fazia idéia de onde passara a noite anterior e estava ligeiramente bêbada. Sentou-se no sofá com o peito apertado e uma vontade incontrolável de chorar. Seu forte havia sumido, desabara em ruínas.

Subiu, foi até o banheiro, olhou no espelho o deserpero da perda e repetiu no pensamento que seguiria em frente, tendo consciência de que estava mentindo. Debaixo do chuveiro, ouviu o telefone tocar algumas poucas vezes, mas não se intrigou e muito menos atendeu. Sua vontade de viver tinha morrido, sua vida tinha acabado.

Quando saiu, ouviu o recado na secretária eletrônica: "Meu amor, estou com você pra tudo. Chego de Boston às sete. Continuo amando vocês."

Nenhum comentário:

Postar um comentário